RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: Tytus

Rises é o nome do trabalho de estreia dos transalpinos Tytus, um quarteto que gosta de misturar heavy metal e thrash metal, ambos na sua forma mais tradicional e originária dos anos 80. Fomos conhecer um pouco melhor este coletivo que inesperadamente foi convidado para tocar no Metaldays 2017 e saber como foi a criação de Rises.

Viva, tudo bem? Podem apresentar os Tytus aos metalheads portugueses?
Olá a todos! Somos os Tytus, um quarteto incidentalmente proveniente do lado norte-oriental da Itália. Gostamos de tocar Heavy Metal clássico profundamente enraizado no final dos anos 70 e início dos anos 80 com algum gosto pelo desert rock.

Como nasceram os Tytus? Podem falar-nos um pouco sobre a vossa história?
Três de nós costumávamos tocar juntos numa banda de punk rock chamada Gonzales. Depois de 10 anos a tocar intensamente pela Europa sentimos que algo estava a mudar: estávamos a compor coisas novas que soavam muito diferentes, mais pesadas e mais velhas. Por isso, decidimos que era a altura para uma nova aventura: embarcamos totalmente nas novas direções que a nossa música estava a levar, com um novo nome e um novo sentimento. Lançámos um 7" em 2014 e andamos em tournée pela França e Espanha. Após essa tournée, os nossos antigos vocalista e baterista saíram devido a desacordo artístico. Nessa altura, um dos guitarristas assumiu também os vocais principais, recrutamos o nosso engenheiro de som que é o maior baterista e voilà, tudo finalmente se uniu!

Como surge o nome Tytus? Algum motivo em particular?
Este nome saiu durante as seções de ensaios: alguém disse “O que acham de Tytus?” E todos responderam "Hell yes!". Imediatamente verificámos na Internet para ter certeza de que ninguém já tinha usado este nome e ficou, sendo que Tytus, na realidade, é um personagem de uma série de brinquedos em banda desenhada dos anos 80, Mestres do Universo! OK, porreiro!

Rises é o vosso álbum de estreia. Assim sendo, quais são os vossos sentimentos, agora que o álbum está cá fora?
Rises teve uma génese muito longa e muito trabalhosa. Queríamos que as coisas fossem exatamente como queríamos em todos os aspetos: composição, gravação, mistura e também as imagens consumiram muito esforço e tempo. Também a drástica mudança de lineup demorou algum tempo a ser digerida. Mas estamos muito felizes com o resultado final, portanto, tudo vale a pena. E ter finalmente lançado é a maior satisfação mas também um alívio: a roda começou a correr novamente e estamos determinados e prontos para o rock!

E como têm sido as reações até agora?
Estamos entusiasmados!!! Todas as reviews que recebemos até agora foram excelentes e o feedback que temos nos concertos e na web são fantásticos!

Podem falar um pouco dos convidados que participam neste álbum? Como se proporcionou e como foi trabalhar com eles?
Temos alguns convidados neste disco. Há Conny Ochs, um grande cantor e compositor da Alemanha. A propósito, foi também ele que fez a capa para Rises. Ele é um verdadeiro talento criativo e um amigo. Estava na cidade enquanto estávamos a gravar e pedimos-lhe para vir ao estúdio e gravar alguns vocais numa faixa em que estávamos um pouco atrasados. Ele veio, ouviu, decidiu o que fazer e enquanto gravava nós estávamos tipo "Meu Deus! É ótimo!". Acabou por ser uma das minhas faixas favoritas do disco. Depois há Will Wallner. Conhecemo-lo e apreciamos o seu trabalho como guitarrista com a banda norte-americana de heavy metal Wizzard. Também estava por perto durante nossas gravações e assim pedimos-lhe se podia vir e dar algumas notas. Ele fez o maravilhoso solo no meio da faixa de 325AD. Realmente profissional e uma pessoa muito fixe. E depois está o nosso ex-cantor Tilen. Mesmo com o afastamento em termos artísticos, permanecemos amigos e uma vez que teve um papel na génese disto tudo, pensamos que seria bom poder fazer alguns vocais neste disco. Ele é um músico talentoso, foi um prazer trabalhar com ele.

Como receberam a notícia que iria estar no Metaldays 2017?
Eu vivo no 5º andar, mas ouviram-me gritar no 1º! O Metaldays é um dos mais interessantes festivais de metal na Europa! Portanto, ter sido selecionado entre tantas bandas é definitivamente a maior satisfação.

E que outros projectos para este novo ano?
Estamos prestes a fechar os espectáculos finais para uma tournée europeia na primavera. Enquanto isso, estamos e vamos continuar a fazer alguns concertos na Itália e países vizinhos (nós vivemos no Nordeste, por isso Áustria e Eslovénia estão muito perto!), e também participar em alguns festivais fixes. Também já estamos a trabalhar em novo material para o próximo disco!

Obrigado! Querem acrescentar mais alguma coisa?
Obrigado por esta entrevista, vocês são ótimos!! Esperamos chegar a Portugal o mais breve possível! Enquanto isso, podem seguir-nos em www.tytus.it ou facebook.com/TytusBand e deixem a vossa opinião. 

Comentários