RIP - Malcolm Young (AC/DC) - We Salute You!

Entrevista: The Brew

Os The Brew são atualmente considerados como uma das melhores bandas ao vivo e conseguem com o seu novo registo, Shake The Tree, transportar toda a energia para estúdio. Por outro lado, os britânicos foram dos poucos a tocar duas vezes no famoso Rockpalast e dois dos seus membros - Jason Barwick, guitarrista que aqui responde às nossas questões, e Kurt Smith, baterista – foram incluídos nos melhores executantes europeus.

Olá Jason, tudo bem contigo? Shake The Tree, o vosso mais recente lançamento, está cá fora. Como tem sido a receção?
Até agora a receção tem sido absolutamente fantástica! Acabamos de terminar a nossa tournée europeia e todo a gente estava louca por Shake The Tree!

Como foi o vosso método de trabalho neste álbum?
Queríamos que Shake The Tree fosse um álbum de poder e diversão! Cada faixa destaca-se por si só. Queríamos que fosse um álbum de músicas boas e poderosas!

De que forma Shake The Tree se aproxima ou afasta do vosso último trabalho?
Acho que tem um poder semelhante ao Control, mas queríamos que a produção fosse um pouco mais um passo em frente com um álbum com som mais moderno.

Shake The Tree tem um som muito orgânico. Gravaram ao vivo em estúdio?
O processo de gravação foi muito semelhante ao Controle. Tudo foi gravado ao vivo menos os vocais.

Atualmente são conhecidos como tendo um dos espetáculos mais enérgicos do circuito. Como conseguiram levar toda essa energia para estúdio?
Cada um de nós dá 150% ao vivo e é sempre muito difícil capturar essa mesma energia em disco mas procuramos encontrar o nosso som de uma maneira que possa transportar essa energia.

John Moore foi o primeiro vídeo retirado de Shake The Tree. Por que a escolha desta música?
Sentamo-nos todos e pensamos que Johnny Moore tinha todas as caraterísticas certas para um primeiro grande single, bom rocky riff, refrão cativante e muito groove.

Durante quanto tempo trabalharam nesta coleção de músicas?
Depois de Control, andamos muito tempo em tournée, pelo que começámos com ideias entre os concertos. Aproximadamente 6 meses antes da gravação Shake The Tree começamos a trabalhar as estruturas dos temas. Decidimos voltar a trabalhar com Toby Jepson (Little Angels, Gun, Fastway, Dios Disciples) com quem já que tínhamos trabalhado tão bem aquando da gravação do Control.

A respeito da gravação, como foi o processo? Onde gravaram e como foi essa experiência?
Gravamos o álbum num estúdio fantástico chamado Vale Studios, o mesmo estúdio onde gravamos o último álbum. Conhecemos muito bem este estúdio e o Toby, portanto, soubemos instantaneamente que som queríamos alcançar neste disco. Também há um ótimo pub no fundo da rua para nos podemos escapar…

Ainda estão na tournée de promoção ao álbum? Como correu?
Acabamos de terminar a primeira parte da tournée e que aventura foi! A maioria dos espectáculos esteve esgotada! No próximo ano iremos para estrada, outra vez, por essa Europa fora, para a segunda parte.

Muito obrigado, Jason! Queres acrescentar mais alguma coisa?
Queremos agradecer a todos os nossos fãs (Brewligans) por todo o seu apoio e espero poder estar em Portugal muito em breve, fundido rostos com o nosso rock n roll.
30.03.16
 Murcia
Garaje Beat Club
31.03.16
 Tarragona
Sala Zero
01.04.16
 Calella
venue TBA
04.04.16
 Gijon
Sala Acapulco
05.04.16
 A Coruna
Sala Mardi Gras
06.04.16 
 Cangas
Salason
07.04.16
 Valladolid
Porta Caeli
08.04.16
 Vitoria
Helldorado

Comentários