quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Review - Elysium (Stratovarius)

Elysium (Stratovarius)
(2011, Armoury)

Definitivamente ultrapassada a fase das tormentas no seio de um dos mais míticos e populares grupos de metal finlandês, é tempo para, calmamente, recomeçar a produzir bons discos. Mantendo o mesmo line-up do seu antecessor, Polaris, editado em 2009, Elysium segue, também, as mesmas pisadas estruturais. Basicamente o que os Stratovarius de hoje fazem, não é mais do que sempre fizeram e bem, diga-se. Metal melódico, ora mais rápido, ora mais balanceado, ora mais progressivo, mas sempre com uma forte ênfase na melodia e na superior capacidade técnica dos seus elementos. Quantos a estes, refira-se que os novos Kupiainen e Porra demonstram já estar perfeitamente entrosados no espírito do coletivo, assumindo, neste Elysium, prestações de elevado calibre. Voltando à música, nota-se neste novo trabalho, apesar de tudo, um certo update em termos de dureza ao nível da secção rítmica. Como que uma atualização da sonoridade stratovariana, sem, no entanto, fugir dos seu campo predileto de ação. Destacam-se, novamente, os soberbos duelos/batalhas entre guitarra e teclas, sendo que estes acabam por ter outra predominância não só ao nível dos solos, como também na criação de cenários que enquadram as estruturas rítmicas e melódicas. Volta a surgir um tema épico longo (neste caso, 18 minutos), coisa que já não acontecia desde a primeira parte de Elements em 2003 e que neste caso em particular encerra o disco de uma forma, que não sendo transcendental, se mostra suficientemente variada para conseguir manter a atenção do ouvinte durante o tempo de duração, sendo de destacar a secção final, pelos belos solos, coros e bem conseguida melodia. Antes, ainda, a banda vai desfilando um conjunto muito agradável de temas, nomeadamente Under Flaming Skies (grande trabalho de baixo e guitarra base!), Infernal Maze (brilhante o cruzamento entre o power metal e o metal neoclássico!), Fairness Justified (belíssimo solo e coros!) ou Move The Mountain (surpreendente incursão pelo rock setentista!). No geral, Elysium acaba por se mostrar muito mais consistente que os últimos álbuns da banda com a assinatura de Tolkki, e aproxima-se muito da qualidade já demonstrada na era pós Tolkki, isto é, em Polaris.

Tracklisting:
1- Darkest Hours
2- Under Flaming Skies
3- Infernal Maze
4- Fairness Justified
5- The Game Never Ends
6- Lifetime In A Moment
7- Move The Mountain
8- Event Horizon
9- Elysium

Line Up:
Timo Kotipelto – vocais
Matias Kupiainen – guitarras
Jens Johansson – teclados
Lauri Porra – baixo
Jorg Michael - bateria

Internet:

Edição: Armoury Records


Texto escrito conforme o Acordo Ortográfico - convertido pelo Lince.

Sem comentários: